Rua Horacio Gomes de Oliveira, 275 - Campinas-SP 19 3221-7801 19 3203-9344

Empresas adotam uniformes como melhoria de setores

Empresas adotam uniformes como melhoria de setores

Empresas adotam uniformes como melhoria de setores

Conheça como funciona uma confecção, e o que procurar na hora da contratação de uma para a produção de uniformes.

O mercado brasileiro de moda é conhecido pela sua criatividade e dinamismo. As peças brasileiras são exportadas por todo o mundo, levando cores e estilos típicos do país para as mais diversas culturas. Este princípio não se limita ao mundo das passarelas, pois nos últimos anos a área de confecções de uniformes tem aumentado visivelmente.

Segundo um estudo feito pela FGV Projetos, entre 2007 e 2012 o segmento de confecções cresceu 8,9%. Não só o mercado se mostrou favorável, como a geração de empregos proporcionados pela indústria têxtil e de confecções chegou a um milhão de pessoas. Ainda segundo a pesquisa este número foi maior que o do mercado varejista, que na época empregava 670 mil pessoas.

O quadro atual continua favorável para a indústria de confecções. Muitas empresas têm adotado metas de qualidade e padronização, como medida de melhora da produtividade, e a adoção do uniforme como parte do cotidiano de seus colaboradores é uma dessas regras para a melhoria do ambiente de trabalho.

Dependendo do ambiente, do público e da imagem que uma empresa ou comércio pretende passar, é imprescindível que seus funcionários estejam devidamente uniformizados. “Ao se adotar um tipo de uniforme, pode-se passar uma imagem de seriedade e organização naquele ambiente”, comenta Eliane C. T. Hatziefstratiou, proprietária da On Line Uniformes.

Cada empresa possui uma necessidade diferente, seja no tipo de tecido utilizado para a produção dos uniformes, ou o tipo de corte. Existem diversos tipos de panos disponíveis para confecções como tricolinas com elastano, poliéster com elastano (conhecido também como two way), entre outros. Não existe um padrão para o uso do tecido, o confeccionador irá indicar aqueles que se enquadram com o segmento da empresa, e é claro, o conforto daqueles que irão utilizar as peças.

O modelo e o corte utilizados em um uniforme também são de grande importância para uma empresa. Dependendo da área de atuação do funcionário, ele exige um tipo diferente de vestimenta. No caso daqueles que terão contato direto com clientes e fornecedores, muitas vezes opta-se por um modelo que passe seriedade, como vestidos (para as mulheres), ou camisas e calças sociais (para os homens). Existem também aqueles que precisam de algum tipo de proteção em seu uniforme. “Certos setores exigem um corte ou tecido diferenciado, como jalecos repelentes a óleo para laboratórios e oficinas, ou então coletes e camisas com faixas refletivas. Depende muito da necessidade de cada um”, diz Eliane.

Outro aspecto muito observado é a utilização das cores nos uniformes. Não é apenas a logo de uma empresa que utiliza cores vibrantes e chamativas, muitos tem optado por essas mesmas cores nas peças utilizadas pelos seus funcionários. Este tipo de mudança vem com o intuito de ajudar o consumidor ou fornecedor a gravar as cores da empresa, criando assim uma associação todas as vezes que estas forem vistas em outro lugar.

Contratação

Antes de efetuar qualquer compra ou encomenda de uniformes, o empreendedor deve observar alguns aspectos. Primeiramente é preciso levantar quais os setores dentro de uma empresa utilizarão as peças e o tipo de tecido que será utilizado. Para aqueles que não possuíam o uniforme antes da contratação do colaborador, é preciso informá-lo das mudanças, conscientizar as pessoas sobre a importância e motivo da utilização do uniforme e é claro, se este gerará algum tipo de custo para o funcionário. É necessário que estes estejam de pleno acordo para que haja qualquer tipo de desconto de seu salário para a compra das peças, sendo feito um termo de adesão ou contrato assinado pelo mesmo, mostrando que está ciente daquilo.

Em segundo lugar, ao efetuar a contratação de uma confecção é indispensável observar a qualidade do tecido e corte oferecidos. “É necessário observar também se a empresa contratada garante a produção na demanda solicitada pelo clientes, além de que o prazo de entrega seja suficiente para que não haja problemas futuros”, acrescenta a proprietária da On Line.

Para as empresas que possuem funcionários que trabalham em cargos de risco (como eletricistas e mestres de obras), é necessário um tipo diferenciado de uniforme, que não é acessível em qualquer lugar. Estes uniformes levam a numeração de seu Certificado de Aprovação (C.A.), e precisam seguir uma série de regras de produção e confecção, de acordo com o setor em que será utilizado.

As confecções para este tipo de peças precisam estar certificadas, garantindo assim a qualidade do produto oferecido, uma vez que este uniforme é considerado um EPI (Equipamento de Proteção Individual), e sua produção indevida não garante a proteção necessária ao funcionário, caso ele esteja exposto a riscos ou sofra algum tipo de acidente.

No início do ano é comum também a procura de confecções por pais que queiram adquirir uniformes escolares. Nestes casos além do corte, qualidade e conforto dos tecidos, é necessário procurar saber se a confecção que está oferecendo o uniforme possui ou não autorização da escola para a sua produção, uma vez que este estará utilizando o nome e logo da instituição de ensino. Na maioria das vezes as próprias escolas oferecem uma lista com os fornecedores, deixando os pais livres para escolherem entre estas confecções aquela que mais lhe agradar.


Fonte: ACIL Limeira